Open banking: Banco Central inicia primeira fase nesta segunda-feira

Primeira etapa do open banking era para acontecer em novembro do ano passado, mas foi adiada. BC garante que todas as etapas serão concluídas ainda em 2021.

Nesta segunda-feira (1°), o Banco Centra (BC) começou a primeira fase do open banking, que consiste no compartilhamento de dados bancários para melhorar a oferta de serviços financeiros.

O open banking promete aumentar a competitividade entre os bancos e trazer condições melhores para clientes de instituições financeiras. Isso porque, por meio do serviço, os clientes terão acesso às informações levantadas pelos bancos, por exemplo, dados cadastrais e histórico de transações, o que pode auxiliar a busca por crédito mais barato e de melhor qualidade.

O BC havia programado para que o open banking entrasse em funcionamento no fim de novembro do ano passado, mas foi adiado para este mês a pedido das instituições financeiras. 

De acordo com ela, os serviços tecnológicos estavam comprometidos devido à pandemia, que aumentou as transações eletrônicas, com o isolamento social. Também justificaram que o pagamento do auxílio emergencial, a implementação do Pix e os registros de recebíveis de cartões estavam sobrecarregando o trabalho.


Calendário open banking

De acordo com o Banco Central, o cronograma do open banking tem quatro etapas que também sofreram reajustes. A primeira, que era para novembro de 2020, começou hoje. A segunda passou de 31 de maio para 15 de julho. A terceira foi mantida para 30 de agosto e a quarta etapa foi transferida de 25 de outubro para 15 de dezembro.

Na Última etapa, as instituições financeiras poderão trocar informações entre si para oferecer produtos personalizados para suas carteiras de clientes.

O consultor do Departamento de Regulação do Sistema Financeiro do BC, Mardilson Fernandes Queiroz, quando anunciou o adiamento da primeira fase, afirmou que o open banking mudará a lógica de funcionamento do sistema financeiro. Pelo menos três vantagens foram apontadas pelo representante do banco: oferta de produtos com juros mais adequados a cada cliente; aumento da concorrência; inclusão de brasileiros no sistema bancário.

Além disso, Queiroz ressaltou que países como o Reino Unido levaram pelo menos cinco anos para adotar o open banking, mas garantiu que as quatro etapas serão concluídas no Brasil em 2021, com a possibilidade de inclusão de produtos e serviços nos anos seguintes, como ocorre com o internet banking e o Pix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *